Page images
PDF
EPUB
[merged small][ocr errors][merged small][merged small][merged small][merged small][merged small]

Como documentos comprobativos, preciosas e interessantes por mais de hum respeito, pareceu conveniente enriquecer a presente edição com as seguintes cartas escriptas do Brasil pelo Padre Manoel da Nobrega, zeloso e incansavel obreiro da vinha do Senhor, e cujos trabalhos apostolicos figuram tão notavelmente n'esta Chronica. Para aqui as trasladamos, transcrevendo-as de diversos volumes da REVISTA DO INSTITUTO HISTORICO E GEOGRAPHICO DO BRASIL, onde foram publicadas pela primeira vez, copiadas dos respectivos originaes, que se conservam nos Archivos de Lisboa e Rio de Janeiro.

CARTA I

AO P. M. SIMÃO RODRIGUES, PROVINCIAL DA COMPANHIA
DE JESUS EM PORTUGAL

A graça e amor de Nosso Senhor Jesu Christo seja sempre em nosso favor e ajuda.-Amen.

Sómente darei conta a V. R. de nossa chegada a esta terra, é do que n'ella fizemos e esperamos fazer em o Senhor Nosso, deixando os fervores de nossa prospera viagem aos Irmãos, que mais em particular a notaram.

Chegámos a esta Bahia a 29 dias do mez de Março de 1449. Andámos na viagem oito semanas. Achámos a terra de paz, e quarenta ou cincoenta moradores na povoação que antes era. Receberam-nos com grande alegria. E achámos uma maneira de Igreja junto da qual logo nos aposentamos os Padres e Irmãos em umas casas a par d'ella, que não foi pouca consolação para nós para dizermos missas e confessarmos. E n'isto nos occupamos agora.

Confessa-se toda a gente da armada, digo a que vinha nos outros navios. Porque os nossos determinámos de os confessar na não. O primeiro domingo que dissemos missa foi a quarta dominga da quadragesima. Disse cu missa cêdo, e todos os Padres e Irmãos confirmámos os votos que tinhamos feito, e outros de novo com muita devoção e conhecimento de Nosso Senhor, segundo pelo exterior é licito conhecer. Eu prégo ao Governador, e á sua gente na nova cidade que se começa, e o 19

VOL. II

[ocr errors]

Padre Navarro å gente da terra. Espero cm Nosso Senhor fazer-se fruito, posto que a gente da terra vive toda em peccado mortal. E não ha nenhum que deixe de ter muitas negras, das quaes estão cheios de filhos e he grande mal. Nenhum d'elles se vem confessar, ainda queira Nosso Senhor que o façam depois. O Irmão Vicente, rijo ensina a doutrina aos meninos cada dia, e tambem tem eschola de ler e escrever; parece-me bom modo este para trazer os Indios d'esta terra, os quaes tem grandes desejos de aprender, e perguntados se querem, mostram grandes desejos.

D'esta maneira ir-lhes-hei ensinando as orações e doutrinando-os na fè até serem habeis para o bautismo. Todos estes que tratam comnosco, dizem que querem ser como nós, senão que não tem com que se cubram como nós. E este só inconveniente tem. Se ouvem tanger á missa já acodem, e quanto nos veem fazer, tudo fazem, assentam-se de giolhos, batém nos peitos, levantam as mãos ao Ceo. E já um dos principaes d'elles aprende a ler, e tema lição cada dia com grande cuidado, e em dous dias soube o a, b, c todo, e o ensinámos a benzer, tomando tudo com grandes desejos. Diz que quer ser Christão, e não comer carne humana, nem ter mais de uma mulher, e outras cousas, sómente que hade ir á gueria, e os que captivar, vendel-os e servir-se d'elles. Porque estes d'esta terra sempre tem guerra com outros, e assim andam todos em discordia, comem-se uns aos outros, digo os contrarios. He gente que nenhum conhecimento tem de Deos. Sem idolos, fazem tudo quanto lhes dizem. Trabalhamos de saber a lingua d'elles, e n'isto o Padre Navarro nos leva a vantagem a todos. Temos determinado ir viver com as aldeas como estivermos mais assentados e seguros, e aprender com elles a lingua, e ir-lhes doutrinando pouco a pouco. Trabalhei por tirar em sua lingua as orações e algumas praticas de Nosso Senhor, e não posso achar lingua que m'o saiba dizer, porque são elles tão brutos que nem vocabulos tem. Espero de os tirar o melhor que puder com um homem que n'esta terra se creou de moço, o qual agora anda muito occupado em o que o Governador lhe manda, e não está aqui. Este homem com um seu genro he o que mais confirma as pazes com esta gente, por serem elles seus amigos antigos. Tambem achámos um Principal d'elles já Christão bautizado, o qual me disseram, que muitas vezes o pedira; e por isso está mal com todos seus parentes. Um dia, achando-me eu perto d'elle, deu uma bofetada grande a um dos seus por

« PreviousContinue »